Tamanduá-bandeira ganha “Uma nova Chance”

A equipe técnica do Bosque Zoológico Fabio Barreto soltou nesta quinta-feira, 5 de janeiro, um tamanduá-bandeira em uma unidade de proteção ambiental no interior do estado de São Paulo, onde terá uma nova chance. A ação contou com o apoio da Polícia Militar Ambiental e da Fundação Florestal do Estado de São Paulo. Resgatado caído em uma plantação de soja, próximo ao município de Jardinópolis, pelo Corpo de Bombeiros no dia 13 de dezembro de 2022, o tamanduá-bandeira foi levado ao Bosque Fábio Barreto para atendimento, sendo imediatamente encaminhado para o setor de quarentena. De acordo o médico veterinário responsável pelo atendimento, Márcio Junio Lima Siconelli, o tamanduá estava muito fraco, debilitado, desnutrido e desidratado, não conseguia ficar em pé e não respondia a estímulos. Além disso, apresentava infestação por carrapatos. “De imediato já aplicamos soro e outras medicações, dando início ao tratamento”, informou. Além dos cuidados médicos, o setor de zootecnia trabalhou conjuntamente a fim de garantir que o animal recebesse uma alimentação adequada, visto o estado em que foi encontrado (hipoglicêmico). Foi administrada uma dieta calórica por indução oral nos primeiros dias. Após a melhora do quadro clínico foi introduzida uma alimentação natural (cupins e ovos). Todo o atendimento foi realizado pelo programa “Uma Nova Chance”, que tem como objetivo resgatar, tratar e reinserir animais na natureza. “Este é um dos relevantes trabalhos executados pela equipe do Bosque Zoológico Fábio Barreto. O tamanduá-bandeira é uma espécie silvestre da fauna brasileira que se encontra ameaçada de extinção em todo o território nacional”, ressalta o chefe de Divisão de Unidades de Conservação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Alexandre Felcar. A equipe do programa “Uma Nova Chance” continua recebendo animais silvestres vítimas de ações humanas. Os animais que não sobreviveriam na natureza pela gravidade das sequelas ou estão acostumados com os seres humanos, são destinados a programas de reprodução, principalmente os ameaçados de extinção. A população pode ajudar no resgate entrando em contato pelos telefones 193 (Bombeiros) e (16) 3996-0450 (Polícia Ambiental).

A equipe técnica do Bosque Zoológico Fabio Barreto soltou nesta quinta-feira, 5 de janeiro, um tamanduá-bandeira em uma unidade de proteção ambiental no interior do estado de São Paulo, onde terá uma nova chance. A ação contou com o apoio da Polícia Militar Ambiental e da Fundação Florestal do Estado de São Paulo.

Resgatado caído em uma plantação de soja, próximo ao município de Jardinópolis, pelo Corpo de Bombeiros no dia 13 de dezembro de 2022, o tamanduá-bandeira foi levado ao Bosque Fábio Barreto para atendimento, sendo imediatamente encaminhado para o setor de quarentena.

De acordo o médico veterinário responsável pelo atendimento, Márcio Junio Lima Siconelli, o tamanduá estava muito fraco, debilitado, desnutrido e desidratado, não conseguia ficar em pé e não respondia a estímulos. Além disso, apresentava infestação por carrapatos. “De imediato já aplicamos soro e outras medicações, dando início ao tratamento”, informou.

Além dos cuidados médicos, o setor de zootecnia trabalhou conjuntamente a fim de garantir que o animal recebesse uma alimentação adequada, visto o estado em que foi encontrado (hipoglicêmico). Foi administrada uma dieta calórica por indução oral nos primeiros dias. Após a melhora do quadro clínico foi introduzida uma alimentação natural (cupins e ovos).

Todo o atendimento foi realizado pelo programa “Uma Nova Chance”, que tem como objetivo resgatar, tratar e reinserir animais na natureza. “Este é um dos relevantes trabalhos executados pela equipe do Bosque Zoológico Fábio Barreto. O tamanduá-bandeira é uma espécie silvestre da fauna brasileira que se encontra ameaçada de extinção em todo o território nacional”, ressalta o chefe de Divisão de Unidades de Conservação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Alexandre Felcar.

A equipe do programa “Uma Nova Chance” continua recebendo animais silvestres vítimas de ações humanas.

Os animais que não sobreviveriam na natureza pela gravidade das sequelas ou estão acostumados com os seres humanos, são destinados a programas de reprodução, principalmente os ameaçados de extinção.

A população pode ajudar no resgate entrando em contato pelos telefones 193 (Bombeiros) e (16) 3996-0450 (Polícia Ambiental).

NANDO MEDEIROS

Learn More →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: