COMERCIAL: NÃO DEU, MAS VALEU!

O Comercial caiu nas semifinais do paulista da série A3. O sonho do acesso foi adiado, porém é preciso entender a diferença entre resultado desportivo e nível de reconstrução. Neste último caso, valeu demais!

O assunto já foi tratado reiteradas vezes aqui no Imprensa Livre. A atual diretoria assumiu o time na última divisão do estadual, com o estádio depreciado, com portões caindo, cozinha e refeitório em péssimas condições, vestiários sem condições de oferecer o mínimo de estrutura, alojamentos caindo aos pedaços, sem meio de transporte para levar o time para treinar, campo e gramado em condições lamentáveis, estrutura das arquibancadas e sociais péssimas, telhas gigantes faltando na cobertura, sem sistema de som, sem contar a total falta de receitas e patrocínios, enfim… passaríamos horas escrevendo sobre o péssimo estado em que o clube estava quando fio iniciada a reconstrução do Comercial FC.

Liderados por Ademir Chiari, José Lourenço, Marcos Aranda e inúmeros comercialinos empresários de diversos setores de atividade o patrimônio foi reconstituído e aumentado, com reformas, construção de camarote especial para receber autoridades, aquisição de ônibus para transporte das delegações, recuperação total do campo e do gramado e muitas outras coisas importantes para reconstruir a infraestrutura necessária para volta a elite do futebol estadual e começar a sonhar com reentrada no cenário nacional.

Nos últimos anos, sob a atual gestão, o time conquistou um acesso e lutou para subir nos campeonatos paulista que disputou. lembrando que o advento pandemia fez com que a luta continuasse com recursos próprios e ações, pois o clube seguiu sem patrocínios e sem recursos até a chegada da D9 Sports que há poucas semanas passou a ajudar financeiramente.

O fato do “não acesso” é resultado desportivo que ocorreu por enfrentar uma equipe superior no mata-mata decisivo, o que não pode e nem deve ser considerado mais forte do que tudo o que foi feito para recuperar o clube.

A credibilidade, a infraestrutura e o trabalho incansável amadureceram e estruturaram o Comercial para voltar a crescer e isso é muito mais importante do que qualquer outra coisa nesse momento, pois de nada adiantaria subir de divisão sem estrutura para se manter.

Faltou não perder pênalti, faltou não sofrer dois gols e 5 minutos nas duas partidas contra o São Bernardo, faltou poder de reação quando estava atrás no placar, faltaram outros detalhes que o jogo de futebol apresenta, mas não faltaram em momento algum, força e apoio da torcida, pagamentos e premiações em dia, estrutura física, profissional e psicológica e nem trabalho duro, honesto e incansável da diretoria.

Pelo não acesso, que a lição seja aprendida e que ano que vem não falte o que faltou esse ano. Quanto ao trabalho realizado na raça, sem recursos e contando apenas com dinheiro próprio das pessoas e eventos apoiados pela torcida, só podemos parabenizar e torcer para que o fôlego seja ininterrupto para a Copa Paulista e a série A3 do ano que vem.

2 thoughts on “COMERCIAL: NÃO DEU, MAS VALEU!

  1. Perfeita colocação. Grande torcida e agora com grande diretoria que fará com em breve estejamos de volta a A 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *