FPF CONFUNDE AINDA MAIS A SÉRIE A3

A FPF enviou ofício aos clubes da série A3 informando a suspensão oficial da competição e ao invés de acalmar, criou ainda mais pânico entre os dirigentes.

O texto diz o que todos já sabem, que o campeonato está e ficará suspenso por tempo indeterminado e ainda que todas as cotas e receitas estão suspensas junto com a competição.

O problema surge quando o texto diz claramente que o campeonato irá continuar em algum momento, aí surgem as perguntas que a FPF não responde:

1 – O que será feito com os atletas durante a suspensão?

2 – Quem irá paga-los e com que dinheiro?

3 – Quando voltar o campeonato, com que time os clubes irão jogar?

4 – O regulamento vai mudar? Atletas que não estavam inscritos poderão jogar?

5 – Caso algum campeonato fora do estado de São Paulo retorne antes e o atleta que hoje está vinculado a um clube da série A3 tenha sido contratado para jogar lá, ele terá que voltar para terminar a série A3 aqui?

6 – Como os clubes da série A3 vão sobreviver até o fim da suspensão sem poder se planejar?

7 – O que os clubes deverão fazer com os atletas que tem e terão seus contratos vencendo? Segura o atleta? libera o atleta? Paga como esse atleta?

08 – Vai haver rebaixamento?

09- Vai haver acesso?

10 – Qualquer coisa que aconteça na A3 relativo a acesso e descenso afeta diretamente as outras divisões, tanto pra cima, como pra baixo. Como ficarão as outras divisões?

Como se pode notar o ofício da FPF deixou mais dúvidas do que esclarecimentos. Os clubes que estavam planejando liberar os atletas com contrato vencendo, já não sabem mais o que fazer. Os que pretendiam fazer acordos também não.

E agora?

Talvez a FPF não tenha essas respostas, pois não consegue enxergar o que vai vir pela frente, assim como o restante dos setores de atividade profissional no Brasil.

A conclusão é de que esse ofício tem como prioridade estabelecer o “congelamento” do campeonato para que quando volte, e se voltar, possa ser recomeçado de onde parou. E para que isso aconteça a CBF vai ter que colaborar e fazer, talvez, um campeonato brasileiro compacto com turno único em 19 rodadas. desta forma o nacional poderia começar em outubro e terminar em dezembro, ou janeiro de 2021, já que as férias de final de ano já estão sendo gozadas por todos os atletas do Brasil.

Há ainda a necessidade de adequação, pois todos os times deverão dispensar seus atletas e depois montar novos elencos para a retomada do futebol. Isso não é informação, apenas uma conclusão diante do quadro apresentado hoje.

Uma ampla discussão com todos os presidentes deverá ser realizada e as determinações terão que ter antecedência para que os clubes tenham tempo para montar os elencos e fazer pré-temporada. Sendo assim é possível que o futebol retorne em julho para que o campeonato seja reiniciado em agosto e finalizado até outubro, começando a partir de então os nacionais.

Leia o texto da FPF na íntegra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *