Mais uma de Léo Franco! Até quando?

Mais uma de Léo Franco! Até quando? Botafogo S/A acumula mais um prejuízo causado pelo diretor de futebol.

O prejuízo já está consolidado, por enquanto só na imagem do clube, mas pode piorar e se transformar em demanda jurídica passível de indenização por quebra de contrato e constrangimento por assédio moral em ambiente de trabalho.

O Botafogo S/A agiu de forma íntegra ao comunicar os atletas Renan Oliveira, Maycon Silva, Bryan, Ednei e seus respectivos empresários e representantes que não contaria com os serviços dos profissionais no brasileiro da série B, mas que respeitaria todos os direitos e garantias contratuais enquanto permanecessem no clube. Todos foram liberados para buscar outras equipes para trabalhar, com o compromisso de liberar toda a documentação sem qualquer empecilho.

A notícia foi digerida pelos atletas que resignados, entenderam e acataram a determinação. Até aí tudo certo. Os problemas começaram quando a diretoria de futebol que é comandada por Léo Franco, diretor de futebol remunerado, deu a ordem para segregar os quatro atletas do grupo, desocupando os armários com pertences pessoais e os realocando para o vestiário dos visitantes… pior ainda, obrigando os atletas a treinar em horários diferentes do restante do elenco.

O Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo (SAPESP), tomou conhecimento da situação e interveio notificando o clube que tal medida é ilegal, exigindo que no prazo de 48 horas todos fossem reintegrados, sob risco de processo por quebra de contrato, assédio, constrangimento público e outros, todos passíveis de demanda judicial com indenização por perdas e danos morais.

A diretoria executiva do Botafogo FC através de seu presidente Dmitri Abreu sugeriu a S/A, que neste caso é representada pelo diretor do futebol Léo Franco, que os dois atletas que ainda estão no clube, Renan Oliveira e Maycon Silva, (Ednei foi para o Cuiabá e Bryan deixou o clube), fossem reintegrados ao elenco para treinar junto com todos e que passassem a utilizar o mesmo vestiário de seus companheiros, porém a sugestão foi totalmente ignorada por Léo Franco. Maycon Silva e Renan Oliveira treinaram mais cedo nesta sexta-feira (03) e quando o elenco foi para o gramado do estádio Santa Cruz, ambos estavam saindo de bermuda, chinelo e camiseta indo para suas casas.

Mais que um “incidente diplomático”, pois é a primeira discordância da S/A com o FC, o caso pode ganhar contornos judiciais que deve causar prejuízos financeiros, além de agravar a ranhura na imagem do clube perante o mercado do futebol.

O departamento jurídico do Botafogo S/A foi procurado por esta reportagem. O Dr. Victor Miranda de Toledo, muito gentil e atencioso, nos encaminhou para a assessoria de imprensa Press FC. Fomos atendidos com muita presteza e igual gentileza por Emerson Souza que com extrema educação e simpatia nos informou que o clube não irá se manifestar publicamente sobre o assunto.

A conclusão óbvia é de que Léo Franco vai manter os atletas segregados dentro do clube e uma demanda judicial será iniciada.

Algumas perguntas vão ficar sem resposta, pelo menos por enquanto: precisava de tudo isso? Faltou habilidade para gerir uma simples questão de convivência organizacional? Sobrou vaidade para demonstrar força e algum poder?

Mas nenhuma pergunta que se faça agora será mais importante do que… Por que Léo Franco ainda está no Botafogo?

Foto: Raul ramos/Agência Botafogo

One thought on “Mais uma de Léo Franco! Até quando?

  1. Acredito que no mínimo, está desgastada a imagem do Sr Leo Franco, é apesar dos últimos acontecimentos ,acredito no Adalberto Batista é em seu trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *