Galhos secos, riscos diversos para a população

Galhos secos, riscos diversos para a população de Ribeirão Preto

Em precisos 0,6 km2 envolvendo o quadrilátero Rua Rio de Janeiro/Rua Ceará/Rua Alagoas e Rua XI de Agosto detectamos 5 pontos de verdadeiro abandono e descaso por parte do Setor de Coordenadoria de Limpeza da Prefeitura de Ribeirão Preto. Tais situações, não diferem do restante da Cidade, visto que já se tornou cena comum, escancarando este abandono e falta de respeito aos Impostos pagos pelos munícipes.

Tais acúmulos, geram obstrução aos pedestres, obrigando-os caminhar pelo pavimento asfáltico, sob risco de atropelamentos, também gerando riscos de pequenos incêndios, que podem ser provocados por vândalos, podendo até atingir veículos estacionados próximos, residências, empresas e fiação.

Na Rua Rio de Janeiro ao lado do nº 750, o morador Carlos Alberto de Oliveira já solicitou a retirada dos galhos existentes por mais de quatro (4) vezes, e alegou à nossa Reportagem que inclusive já teve que acordar de madrugada, para expulsar usuários de drogas que se escondiam ao lado deste galhos com medo de incêndio devido estes mesmos se utilizarem de artefatos imitando um cachimbo, além de lixo, copos descartáveis com acúmulo de água parada podendo ser criadouro de mosquito transmissor da Dengue, ratos e escorpiões, entre outros perigos.

Caminhando pela Rua Rio de Janeiro, na quadra seguinte entre Ruas São Paulo e Avenida Saudade, outro ponto de acúmulo, porém de menor proporção.  Seguindo pela mesma Rua, virando à esquerda na Rua Alagoas, entre ás Ruas Padre Euclides e Capitão Salomão, na calçada oposta ao nº 525, o descaso é ainda maior. O local é exatamente no Ponto de ônibus, com a calçada toda obstruída com e mesmo aspecto de abandono, lixo acumulado e até madeiras descartadas por populares.

Nossa peregrinação, seguiu pela Rua Luís Barreto até a Rua Ceará na calçada oposta ao nº 1267  mais um depósito de lixo com galhos abandonados e as mesmas características.

Saindo deste ponto, virando à direita, na Rua XI de Agosto o mesmo quadro com agravantes de que o mesmo se encontra no muro do Círculo Operário, entre uma Escola Privada e uma Escola Estadual Pública, ambas de ensino Fundamental, com alto fluxo de “crianças” sendo obrigadas a transitar pelo pavimento asfáltico, concorrendo com os veículos que vem buscar os demais alunos nas Escolas, potencializando o risco de atropelamentos causados pela distração natural das crianças ao sair das mesmas. De frente este “palco de horrores”, existe um comércio (Bar) de propriedade da Sra. Vilma Aparecida Borges de Oliveira, tomou a iniciativa de ligar no telefone da Limpeza Urbana através do número 3968-8650 por duas vezes, sendo a penúltima há um mês e a última há uma semana, sempre com a promessa de que virão recolher. No local encontramos também, entulhos, copos, garrafas pet e muito lixo misturados aos galhos secos e folhas, causando os mesmos risco e transtornos citados nos locais anteriores.

Confira as imagens

Este slideshow necessita de JavaScript.

A falta de atenção por parte dos órgãos competentes, o que não justifica tal ato, acabam dando maus exemplos para toda população, que vendo este cenário de sujeira, falta de higiene comuns em vários pontos como estes que identificamos, na quadra abaixo na mesma Rua XI de Agosto, na calçada de uma Unidade de Ensino Superior (faculdade), móveis velhos (camas) também foram descartados aguardando a coleta urbana. Tudo isso sem contar na Rua São Paulo, esquina da com Rua Padre Euclides, mais uma repetição dos fatos citados e neste ponto o agravante é de ser de frente ao Hospital Santa Casa.

Os fatos estão aí, aguardamos agora que os órgãos competentes, tomem as providências o mais rápido possível, assim auxiliamos a evitar doenças como a dengue, atropelamentos e mais higiene para os usuários das vias, lembrando que nestes pontos escolhidos por esta Reportagem, foi apenas uma amostragem do que constatamos em toda nossa querida Ribeirão Preto.

Com a palavra a coordenadoria de limpeza urbana

Em nota, a Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto informou que todas as solicitações feitas junto à Coordenadoria de Limpeza Pública são encaminhadas para empresa terceirizada, porém devido ao grande número de árvores caídas durantes os últimos vendavais, passam pelo critério de prioridades. Vale salientar que os locais citados na matéria aguardam solução há de mais de 60 dias e não é exclusividade destes 0,6 km² dos Campos Elíseos e sim retratam a realidade espalhada por toda a cidade.

Se na porta da sua casa existem fatos semelhantes, utilize o campo dos “comentários” e denuncie os locais que vamos endereçar a quem de direito e acompanhar os resultados.

Confira a resposta da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto na íntegra

“Olá, boa tarde!

A Coordenadoria de Limpeza Urbana informa que os locais (ruas Rio de Janeiro, Alagoas e Ceará) estão na programação de recolhimento. A Coordenadoria ainda informa que todas as solicitações recebidas são encaminhadas diariamente para a empresa terceirizada. Porém, devido à grande demanda de árvores caídas durante os últimos vendavais na cidade, estão sendo atendidos de forma prioritária, os locais em que as árvores caíram em vias, atrapalhando o trânsito de veículos. Posteriormente, outros locais, como os citados, serão atendidos.

Att.:”

Comente à vontade, este espaço é seu! Só lembre-se de ser respeitoso para com quem pensa diferente.

%d blogueiros gostam disto: