Come-Fogo imaginário e presunções norteiam promotoria

Come-Fogo imaginário e presunções norteiam promotoria pública de Ribeirão Preto

Em Ribeirão Preto não há o clássico Come-Fogo desde 2014 e a separação de divisões entre as equipes não prevê que ocorra tão logo. Mesmo assim o promotor Dr. Paulo José Freire Teotônio está preocupado e pede jogos em Ribeirão preto com torcida única, tanto em Santa Cruz, como em Palma Travassos.

Tal pedido se dá por conta de presunções da promotoria que se posicionou sobre as torcidas organizadas de Ribeirão Preto como criminosos. A presunção pode ser por falta de informação e conhecimento, pois há apenas três torcidas organizadas atuantes na cidade e todas são mais conhecidas pelos trabalhos sociais do que por qualquer ato violento, como disse o promotor.

A Fiel Força Tricolor existe há 26 anos, tem endereço fixo, todas as documentações e alvarás de funcionamento, além de estar cadastrada junto a FPF e autorizada pela entidade máxima do futebol estadual a frequentar normalmente os estádios, sem qualquer mácula sobre seu comportamento e ainda sem nenhum integrante constando da lista de proibição de frequentar os estádios. Tal lista é afixada na porta de todos os estádios para que todos saibam quem está proibido de entrar. Os trabalhos sociais e assistenciais são marca registrada da entidade.

A Mancha Alvinegra entra no seu 33º ano de existência em 2019. Assim como a FFT, está absolutamente regularizada, autorizada e não há qualquer impedimento para a entidade, muito menos aos seus associados. Tem endereço fixo, trabalhos sociais de assistência a comunidades e entidades que apoiam idosos e crianças.

O Batalhão Alvinegro anima Palma Travassos com seus instrumentos musicais de sopro e também atua na área social.

A carapuça para estas três torcidas não serviu, nem para outras torcidas que já foram atuantes, mas que há anos não exercem mais suas atividades e que frequentam os estádios, não como torcidas organizadas, mas como amigos que se juntam para assistir aos jogos, como por exemplo a Kamikaze e Os Dragões que se reúnem em determinados locais diferentes no estádio para assistir aos jogos e torcer pelo seu time. Sobre a kamikaze cabe ainda uma observação, em 2019 ela deixa de se apresentar com seu nome de origem e passa a fazer parte do MPB (Movimento Popular Botafoguense), como o próprio nome diz, não são torcida organizada e sim um movimento de apoio e cobrança das coisas do clube. Há ainda outras modalidades as quais a promotoria certamente desconhece, como BotaChopp, TDT (Turma do Desmanche Tricolor), BafoChopp e outros que nada mais são do que torcedores do mesmo time que se juntam para fazer churrasco e tomar cerveja na parte externa dos estádios, antes e depois dos jogos e que na hora do jogo entram juntos para torcer nas arquibancadas.

Ainda no campo da desinformação e das presunções, o Dr. Paulo José Freire Teotônio se utilizou de exemplos fantasiosos como a violência das torcidas organizadas, mesmo não havendo registros, nem estatísticas recentes, pois há muitos anos não se tem notícia de brigas ou qualquer outra violência entre torcidas organizadas de Ribeirão Preto, portanto não há fundamento para tal afirmação.

Outra presunção fundamentada em fatos que não aconteceram, está na afirmação do promotor que após o jogo de estreia do Comercial na série A3, contra o Noroeste, dia 19/01/2019, houve confusão generalizada fora do estádio e que a briga entre integrantes de torcidas organizadas do Comercial teriam deixado duas crianças feridas. Esta reportagem estava lá nesse dia, realmente houve uma briga, porém não entre torcidas organizadas e sim entre dois amigos que se desentenderam por razões pessoais e acabaram se agredindo mutuamente. Houve corre-corre e a turma do deixa disso que corria para apartar. A Polícia Militar estava presente e sequer precisou intervir, pois logo tudo se acalmou. Mesmo estando presente no local, esta reportagem buscou junto às delegacias de polícia um boletim do ocorrência, ou uma anotação manuscrita da PM sobre o entreveiro e o resultado foi nada, zero, nenhum registro sobre o ocorrido, portanto se não há registros, como pode o senhor promotor afirmar que houve feridos? Pior, quem são as crianças? Foram identificadas? Porque os pais não se apresentariam a polícia para registrar? O que nos leva a acreditar que o nobre promotor ouviu falar e acreditou!

Isso é preocupante, pois a promotoria pública é, ou deveria ser, um órgão muito importante para agir por presunções e achismos. Lamentável!

Sugestão

Nobre senhor Dr. Paulo José Freire Teotônio, respeitosamente gostaríamos de fazer uma sugestão, que tal a promotoria pública envidar esforços para os casos indicados pelas estatísticas existentes na cidade? Futebol e torcidas organizadas não aparecem em nenhuma estatística da cidade de Ribeirão Preto. Não há um só registro de morte causada pelo futebol, nem por torcidas organizadas em nossa cidade, porém, os buracos no asfalto de Ribeirão já mataram motociclistas, causaram acidentes com vitima fatal em vários pontos da cidade. Há ainda números expressivos de latrocínio, assaltos, furtos, roubos de carros e motos por toda a cidade e em plena luz do dia. Gostaria ainda de pedir que o nobre promotor visitasse as UPAS, mas vá durante o dia porque à noite não funcionam, os pobres só podem ficar doentes durante o dia e muitos tem que voltar pra suas casas sem atendimento porque acaba o expediente antes de acabarem os atendimentos.

Por fim, por favor Dr. Paulo Freire, assim que sobrar um tempinho dê uma passadinha no hospital Santa Lídia, onde está internado desde a último terça-feira, o palhaço Biriba, ícone da cultura circense ribeirão-pretana e que ficou sem diagnóstico por 04 longos dias, até ser descoberta uma infecção em seus pulmões. Ele está lá, no quarto 219, a espera de que tenha um fim de vida tão digno como em sua juventude quando prestava serviços relevantes para a nossa cidade, mas não demore, pois com o tratamento que está recebendo, pode ser tarde quando puder ir. Como o senhor deve saber há muito trabalho para a promotoria em nossa cidade, não se preocupe com o futebol, pois ele tem ido muito bem sem a interferência da promotoria pública, aliás não causa mortes, mas gera emprego e renda para a cidade e população.

Prestigie nossos parceiros

4 Comentários

  1. Parabéns Nando Medeiros, disse tudo o que qualquer torcedor de ambas as agremiações, gostariam de ter dito, sou Comercialino, amo meu clube, e jamais seria hipócrita em não reconhecer a agremiação do BFC, e faco minhas suas palavras, onde NUNCA na história do futebol ribeirãopretano, ouve uma morte sequer, o Sr Promotor deve estar com tempo de sobra, para se preocupar com o futebol e esquecer a população, que e de fato quem ele deveria estar indo atrás e atuando para proteger e ajudar os mesmos.
    Sr Promotor, o Sr deve estar andando de helicóptero pela cidade, para não diagnosticar os verdadeiros problemas existentes.

  2. Bons argumentos, boa análise.
    Realmente, alguns holofotes nem deveriam ser ligados para esse tipo de coisa.
    Com tanta coisa ruim acontecendo em nossa cidade, perde tempo para “procurar pelo em ovo” e, ao meu ver, querer aparecer, um promotor que deveria ter maiores preocupações do que jogos de futebol, conforme elencado por Nando Medeiros.
    Fico preocupado com o que vêm à frente.

  3. Realmente existem muitas outras coisas que o promotor poderia interceder a favor da população da cidade ,quanto ao futebol nunca soube de qualquer violência com relação a torcedores de Botafogo ou Comercial !!!

Comente à vontade, este espaço é seu! Só lembre-se de ser respeitoso para com quem pensa diferente.