Comercialino, agora o papo é reto!

Comercialino, agora o papo é reto! O Comercial precisa de você para encarar a série A3 O presidente comercialino Ademir Chiari convocou a imprensa para um café da manhã

Comercialino, agora o papo é reto! O Comercial precisa de você para encarar a série A3

O presidente comercialino Ademir Chiari convocou a imprensa para um café da manhã em Palma Travassos e abriu o jogo com a nação alvinegra, não há como tocar o clube sem a participação efetiva dos torcedores.

A real

Ademir Chiari falou sobre tudo o que foi e o que está sendo feito com recursos advindos de empresários comercialinos que doam mão de obra especializada e dinheiro em espécie para que o clube sobrevivesse em 2018 e conseguisse subir um degrau no campeonato paulista.

Confira a entrevista com Ademir Chiari no final desta matéria

Ocorre que 2019 as contas triplicaram por causa do nível de atletas que compõem a série A3, fora as despesas com comissão técnica, o custo fixo do clube e ainda as pendências do passado que continuam a consumir parte da pouca receita que o clube tem.

Colégio Anchieta

Tentativa

A solução sugerida é a conscientização do torcedor comercialino de que é preciso sua participação de forma direta nas finanças do clube para que ele possa se desenvolver e voltar a gerar receitas para se autossustentar em pouco tempo.

Sócio Colaborador ou Sócio Mantenedor

O pedido do presidente comercialino é para que haja uma mobilização de torcedores que possam se comprometer a doar uma quantia mensal que parte do valor de R$ 20 e vai até a possibilidade de cada um. A ideia inicial era conseguir 5 mil torcedores de R$ 30 mensais, o que perfaz o valor de R$ 150 mil, porém a conta pode ser feita de inúmeras formas, como por exemplo, o caso de haver torcedores abastados que possam colaborar com mil reais.

O detalhe é que a contra partida para estes mantenedores será apenas a satisfação de ver o seu clube do coração lutando pelo acesso dentro de campo e com as contas em dia fora dele. Nesta modalidade não será oferecida nenhuma outra vantagem, ou seja, não é para torcedores nutella, nem modinhas, apenas para o torcedor raiz, pois só ele é capaz de entender a situação e assumir a posição de mantenedor do amor de sua vida futebolística. Ajudar sem esperar nada em troca, apenas a consciência que o clube vai se manter vivo através de sua ajuda.

Abrindo o jogo

Ademir falou durante a coletiva que a receita necessária para a série A3 é de R$ 180 mil por mês e que hoje o clube arrecada cerca de R$ 40 mil por mês, valor este que será aumentado quando começar a competição, pois o clube vai vender patrocínios de camisa, placas de publicidade, elaborar um plano de sócio torcedor, entre outras medidas para angariar recursos, porém a conta ainda não vai fechar.

Como aderir

Basta procurar o clube, no estádio Palma Travassos. Todos os funcionários estão orientados para atender, orientar e cadastrar.

Pessoalmente vá até a Avenida Plínio de Castro Prado, 1000 e se apresente como Sócio Colaborador. Se precisar de mais informações, ligue para 3441-6300.

Cansaço financeiro

O grupo que administra o Comercial, capitaneado pelo presidente Ademir Chiari está há um ano despendendo recursos do bolso para tocar o clube. O resultado em campo foi extraordinário, mas a estrutura do clube também foi muito bem cuidada. O volume de dinheiro e outros recursos colocados à disposição do clube não irá retornar, pois nenhum deles quer de volta aquilo puseram, porém chega um ponto em que as coisas vão apertando para eles também e o “cansaço financeiro” é inevitável.

O que foi feito

Aquisição de ônibus próprio, reforma e modernização de várias estruturas físicas do estádio, cozinha, alojamentos, CARFE, vestiários, principal e visitantes e dos árbitros, academia com novos aparelhos, fisioterapia com recursos tecnológicos, gramado, cobertura metálica, construção de camarote vip para receber, personalidades, investidores, patrocinadores, reforma dos portões monumentais que consumiram milhares de reais, enfim… muita coisa foi feita sem usar recursos do clube. Parte foi integralizado em dinheiro do bolso destes abnegados e parte foi doada em forma de materiais, equipamentos e mão de obra, oriundos das empresas deles mesmos.

Resumindo

A carga ficou muito pesada para que apenas meia dúzia destes bravos comercialinos possam suportar. Agora é hora dos verdadeiros donos do Comercial, os comercialinos, assumirem a posição para dividir o peso e alavancar o clube para a autossustentabilidade.

Confira a entrevista de Ademir Chiari

Foto: Rafael Alves Germano/Comercial FC

Prestigie nossos parceiros

Seja o primeiro a comentar

Comente à vontade, este espaço é seu! Só lembre-se de ser respeitoso para com quem pensa diferente.