Cesinha e Comercial vão juntos até o fim

Cesinha e Comercial vão juntos até o fim na luta pelo acesso A queda de rendimento do meio campo Cesinha fez com que o atleta fosse substituído algumas vezes.

Cesinha e Comercial vão juntos até o fim na luta pelo acesso

A queda de rendimento do meio campo Cesinha fez com que o atleta fosse substituído algumas vezes. Na partida contra o Flamengo de Guarulhos a substituição aconteceu ainda no primeiro tempo, para que o meio campo comercialino fosse concertado, não por falha de Cesinha, mas por questões táticas em decorrência da escalação com Lineker improvisado na lateral direita.

O Flamengo atacava com muita força pelo setor onde Lineker foi escalado para jogar. Zé gatinha, o principal jogador do Flamengo fez a diferença por aquele setor. Pinho tinha a necessidade de “arrumar a casa” com a entrada de um lateral de oficio, o até então titular Júlio Oliveira.

O escolhido para deixar o campo foi Cesinha que inconformado e muito abalado saiu chutando o que havia pela frente. O meio-campista desceu para o vestiário desorientado e lá ficou por aproximadamente 10 minutos, quando foi trazido de volta ao campo pelo agente do antidoping para conduzi-lo até a sala de exame.

Cesinha passou pela reportagem da Rede Fé chorando copiosamente, minha solidariedade não passou de uma aperto de mãos e votos de calma e força para superar aquele momento. Cesinha mal conseguiu me responder com um muito obrigado, pois chorava muito.

Após a partida o técnico Pinho em entrevista a Rede Fé fez questão de dizer que teve que mexer daquela forma para concertar o meio de campo e confessou que teve que tirar Cesinha porque seu rendimento havia caído de um tempo para cá.

Pinho deixou claro que não ficou chateado com o atleta, “jogador que é substituído e fica feliz não serve pra jogar futebol… tem que sair chateado mesmo, questionar e mostrar no próximo treino que não merecia ter saído”

Todo eventual mal estar pela situação foi desfeito ao longo deste domingo. A diretoria conversou com Pinho e com Cesinha, ficou tudo bem.

Quanto a titularidade o treinador afirmou que não é ele quem escala o time e sim o próprio jogador durante os treinos, quem estiver melhor vai ser titular.

A diretoria reafirmou que o momento é de união para a conquista do objetivo maior, que houve uma conversa com as partes envolvidas e que o Comercial continua integro, sem divisões nem baixas na equipe e que esta união será fundamental para o bem de todos.

Prestigie nossos parceiros

Seja o primeiro a comentar

Comente à vontade, este espaço é seu! Só lembre-se de ser respeitoso para com quem pensa diferente.