Botafogo cumpre acordo com atletas e comissão técnica

Botafogo cumpre acordo com atletas e comissão técnica

Botafogo cumpre acordo com atletas e comissão técnica, saldando 60% dos débitos com salários nesta quinta-feira (01). Os outros 40% serão quitados em dez dias. A diretoria do Botafogo conseguiu realizar uma operação financeira que viabilizou o pagamento agora negocia em outra frente para tentar quitar o saldo com os atletas antes do prazo estabelecido.

Até novembro de 2017 as convenções e leis trabalhistas determinavam que os pagamentos salariais deveriam ser feitos no 5º dia útil de cada mês. A partir da promulgação da reforma trabalhista, passou a valer o que for acordado entre empregador e empregado. O Botafogo, na gestão Gerson Engracia sempre teve como data de pagamento o dia 20 de cada mês, desde novembro do ano passado essa pratica passou a ser totalmente legal e adequada às novas leis que regem a relação entre as duas partes.

O atraso

O período contábil compreende do 1º ao último dia de cada mês, por isso a sensação de que os salários estavam muito tempo atrasados, porém a verdade é de que houve 9 dias de atraso até o pagamento dos 60% e se a programação for seguida, o atraso total será de 19 dias.

O Botafogo está errado, salários devem ser pagos religiosamente conforme o combinado. No elenco há diversos níveis socioeconômicos de atletas. Uns sentem necessidades maiores do que outros e isso cria um ambiente incômodo no grupo.

A mobilização

Não é segredo que o Botafogo passa por dificuldades financeiras há anos, mas via de regra tem conseguido se manter na elite do futebol paulista e disputando o brasileiro no segundo semestre graças aos seus apaixonados torcedores, dirigentes e empresários que remediam a situação até que surja a próxima dificuldade.

Reuniões com cardeais do clube e empresários da cidade vem se sucedendo nas últimas semanas para que os recursos necessários para terminar o paulistão sejam conseguidos.

A saída

Na próxima segunda-feira (05) o Conselho Deliberativo vai se reunir em assembleia extraordinária, convocada pelo executivo para apresentar um projeto que vem sendo desenvolvido desde setembro de 2017.

O projeto ainda não pode ser detalhado publicamente, pois sequer foi aprovado pelo conselho, mas em linhas gerais pode ser definido como a abertura de uma empresa S/A cuja os sócios serão, o Botafogo e uma empresa da capital paulista. O Botafogo deve ficar com 60% das cotas de responsabilidade enquanto a empresa ficará com 40%, portanto o capital a ser integralizado por ambas as partes segue nestes percentuais.

A parte do Botafogo não necessariamente deverá ser integralizada com dinheiro em espécie, mas a do novo sócio sim. Os valores ainda não foram divulgados, porém já se sabe que o dinheiro a ser integralizado pelo novo sócio não será aportado de uma só vez. Será integralizado aos poucos nos próximos anos, com início pré-determinado para o mês de junho. O que significa dizer que haverá recursos de pequena monta para a série C do brasileiro.

Essa S/A será a responsável por gerir o Botafogo e terá executivos indicados e números iguais pelos sócios, possivelmente dois de cada lado. Um quinto gestor será contratado, pelo que tudo indica um consultor experiente que será independente e deverá atuar como voto de minerva após avaliar friamente cada situação que se fizer necessária sua intervenção. No dia a dia este executivo independente deverá atuar como analista e orientador geral.

A assembleia de segunda-feira (05) será fundamental, porém não determinante ainda, uma vez que, segundo o estatuto do Botafogo, decisões dessa relevância devem passar por uma assembleia geral, o que deve ocorrer no prazo de 45 a 90 dias, dependendo das adequações que se fizerem necessários para a redação do projeto final.

Foto: Botafogo FC

Prestigie nossos parceiros

Seja o primeiro a comentar

Comente à vontade, este espaço é seu! Só lembre-se de ser respeitoso para com quem pensa diferente.